Vermífugo em pets: como funciona esta medicação?

Os bichinhos de estimação exigem atenção e cuidado de seus tutores. Além do banho, da alimentação e das vacinas, é preciso ficar de olho também na dosagem de vermífugo para nossos amigos de quatro patas.

Essa medicação combate patologias muito comuns em animais domésticos. A verminose em questão pode acarretar problemas sérios e até mesmo matá-los se não for devidamente controlada. Como são perigos relativamente silenciosos, é preciso ficar de olho nos sintomas.

O aumento crescente da adoção de cães e gatos por parte das pessoas vem redobrando o mercado pet, inclusive em relação aos medicamentos veterinários, pois cuidar da saúde dos nossos amiguinhos é uma das nossas principais responsabilidades. 

Neste post explicaremos como o vermífugo funciona. Continue a leitura e saiba mais sobre esse importante assunto.

Vermífugo pode prevenir doenças

Cães e gatos podem contrair verminoses através de contato com água contaminada, alimentos, ou mesmo em passeios e em companhia de outros animais. As zoonoses são um tipo de parasitose que podem ser passadas inclusive para o ser humano, o que reforça ainda mais a importância de aplicar vermífugo nos seus pets.

É preciso salientar também que filhotes são mais suscetíveis ao contágio devido à possível transmissão da mãe para a cria na hora do parto ou durante a amamentação. Portanto, é importante levar recém-nascidos a um médico veterinário o mais cedo possível para realizar uma avaliação da saúde. Os vermes podem acometê-los em diversas regiões, tais como:

  • intestino,
  • coração,
  • estômago,
  • esôfago,
  • pulmão,
  • rins.

Como os parasitas mais comuns costumam afetar o sistema gastrointestinal, os principais sintomas que costumam se manifestar são a diarreia e o vômito.

Outros sintomas

Todavia, é recomendável estar sempre atento em outros sintomas, tais como perda de apetite, fadiga, fezes moles ou ensanguentadas, coceira no ânus, atraso no crescimento (quando filhotes), emagrecimento e diminuição do brilho nos pelos.

O esquema da aplicação de vermífugo costuma variar, sendo sempre de suma importância respeitar a orientação de um médico veterinário. Em geral, filhotes tomam a primeira dose em seu 15º primeiro dia de vida, com reforço após mais 15 dias. Em seguida, a vermifugação passa a ser mensal, até que o pet complete seis meses.

Já em cães e gatos adultos, a aplicação deve ser feita a cada quatro meses. Já as cadelas e gatas prenhes precisam da medicação depois dos 45 primeiros dias de gestação. Depois do parto, as mães também precisam ser tratadas junto aos seus filhotes, 15 dias após o nascimento da cria.

Existem diversos tipos de vermífugos disponíveis no mercado, como comprimidos, medicamentos de solução oral e até aplicação tópica, com uso de pipetas. Converse com o veterinário de sua confiança para escolher a melhor opção para o seu animal de estimação.

A aplicação deve ser ministrada de acordo com o tipo de medicação, seja utilizando uma seringa e injetando na garganta do animal ou então diluindo o remédio na alimentação dele. O importante é não deixar de vermifugar seus amigos de quatro patas, mantendo sempre sua saúde e bem-estar em primeiro lugar.

Agora que você já sabe como o vermífugo funciona em pets compartilhe este post com seus amigos para que eles também saibam!