Como funciona uma viagem de avião com cachorro?

Você já precisou fazer uma viagem e não tinha com quem deixar seu cachorro? Ou ainda não queria deixá-lo? É comum surgir uma dúvida nessa situação: como funciona uma viagem de avião com cachorro?

Independentemente do motivo da viagem, seja em férias ou a trabalho, o fato é que existem meios de levar seu cachorro junto.

As empresas aéreas oferecem a possibilidade dos cachorros viajarem com seus donos, mesmo para fora do país. 

No entanto, algumas providências precisam ser tomadas e documentos precisam ser providenciados para que tudo esteja regularizado.

Nesse artigo vamos apresentar como funciona uma viagem de avião com cachorro, um processo possível, mas, que exige algum tempo e cuidados. Continue lendo e confira!

Quais documentos são necessários para uma viagem de avião com cachorro?

Para poder embarcar o seu cachorro em uma viagem aérea, alguns documentos precisam ser providenciados.

Viagens nacionais

No caso de viagens nacionais é necessário o Certificado Veterinário, um documento que atesta a saúde do seu cachorro. 

Ele tem prazo de validade de 10 dias, portanto, muita atenção na data de sua emissão.

Outro documento necessário é a Carteira de Vacinação que precisa estar atualizada com todas as aplicações em dia e carimbadas por um médico veterinário.

Viagens internacionais

Já para as viagens internacionais, cada país possui uma legislação própria, portanto, é fundamental analisá-las e cumprir com as exigências, sob pena de não poder embarcar no dia da viagem.

De forma geral, é muito comum duas obrigações:

Microchipagem

A microchipagem é a implantação de um chip sob a pele que contém todos os dados do seu cachorro como: 

  • nome do cão, 
  • nome do dono, 
  • telefone, 
  • dados de vacinação.

O objetivo da microchipagem é facilitar a localização dos donos nos casos onde o cão possa se perder.

Essa prática é muito utilizada na América do Norte e na Europa.

Para a colocação do microchip é importante procurar o veterinário que poderá ajudá-lo com essa obrigação.

Certificado Zoossanitário Internacional

Outro documento fundamental para viagens para fora do país e que tem prazo de validade de apenas 10 dias, é o Certificado Zoossanitário Internacional.

O Certificado deverá atender às exigências específicas do país de destino, portanto, é importante conhecer a sua legislação com relação ao assunto.

A viagem de avião com cachorro no Brasil

No Brasil, as empresas aéreas possibilitam o embarque dos cachorros em suas viagens, no entanto, existem critérios e regras em cada uma delas.

As três maiores adotam as seguintes normas para viagem de avião com cachorro:

Azul

A Azul aceita que um cachorrinho siga viagem ao seu lado na cabine, no entanto, o peso máximo de bichinho – levando-se em conta a caixa de transporte – não pode ultrapassar os 5 quilos.

Os animais precisam ter mais de 4 meses de idade, portanto filhotes, nem pensar.

GOL

A GOL também permite cachorros de até 10 quilos na cabine do avião, incluindo a caixa de transporte, no entanto ele não pode ter menos de 4 meses de idade.

Cães maiores, com até 30 quilos (levando-se em conta a caixa de transporte), viajam no compartimento de carga.

Cachorros ainda maiores podem viajar pela empresa de carga da companhia, a GOLlog. 

LATAM

Outra importante empresa aérea que cobre todo o território nacional é a LATAM.

Ela também permite a presença do seu cão na cabine, mas com peso total de até 7 quilos. 

Na LATAM os cães devem ter no mínimo 8 semanas de vida, com exceção de vôos para os Estados Unidos, onde o mínimo exigido é de 4 meses.

O serviço deve ser solicitado com, pelo menos, 24 horas de antecedência.

Para maiores detalhes de cada companhia, vale acessar o site de cada uma, onde informações detalhadas estão à disposição.

Diante de todas as informações, é possível levar seu.dog para uma viagem de avião, mesmo internacional, bastando tão somente que sejam obedecidas às regras e a legislação pertinente de cada país.

Agora que você já sabe como funciona uma viagem de avião com cachorro, que tal ler também o artigo vou viajar, onde deixo meu cachorro? Quem sabe não seja uma alternativa viável!