Por que meu cachorro lambe a ferida? Você certamente já viveu essa experiência e fez essa pergunta a si mesmo.

Toda ferida passa por um processo de cicatrização, fazendo com que o seu portador tenha diversas sensações, como:

  • desconforto,
  • coceira,
  • queimação,
  • dor.

Com os cães a situação é idêntica e a lambedura é um dos artifícios encontrados para tentar aliviá-la.

Será que essa atitude deve ser evitada ou pode acelerar o processo de cicatrização? 

São perguntas que precisam de respostas claras, pois, não é raro deparar-se com nossos peludos lambendo seus ferimentos, deixando-nos sem ação e com dúvidas a respeito.

Nesse post apresentamos detalhes desse assunto e o que pode acontecer quando o seu cachorro lambe a ferida. Continue lendo e saiba mais sobre o assunto!

A saliva ajuda na cicatrização

A saliva dos cães possui mais de 400 espécies de bactérias, um número semelhante à encontrada entre os humanos. 

Algumas delas são benéficas aos peludos, mas podem causar grandes problemas às pessoas. A saliva dos cachorros é diferente da nossa.

Também são encontradas moléculas como, por exemplo, o nitrito, gerado por bactérias e que na pele do cão (e não dos humanos) tem o efeito antimicrobiano, o que colabora na cura de uma ferida.

Os cães também podem ser portadores de micro-organismos mortais, como, por exemplo, a capnocytophaga canimorsus que pode causar uma doença nos seres humanos conhecida como sepse. 

Essa doença leva a pessoa ao óbito se não tratada rapidamente e, em alguns casos, para salvar a vida, amputações precisam ser realizadas.

Apesar da saliva canina ajudar na cicatrização das feridas dos pets, é importante muita atenção para esse fato, como veremos a seguir.

Então, não tem problema quando meu cachorro lambe a ferida?

Infelizmente não é assim que funciona. 

Os cães podem ter sérios problemas lambendo as feridas.

Apesar das propriedades antimicrobianas da saliva do cachorro, outros problemas que podem prejudicar sua saúde também estão presentes nessa ação:

Bactérias prejudiciais

Algumas bactérias, dentre as 400 existentes, podem causar sérios problemas às feridas, especialmente se essas forem mais profundas ou maiores, além disso, existem os vírus que também são prejudiciais e podem levar o cão a óbito.

A lambedura pode depositar esses inimigos invisíveis diretamente no foco da ferida, agravando a situação e colaborando para problemas maiores.

Umidade das lesões

A umidade que pode ocorrer em função das constantes lambidas é outro problema que retarda a cicatrização das feridas.

Essa situação pode levar a um círculo vicioso, onde a ferida não cicatriza e o cão não para de lambê-la, o que aumenta os riscos de alguma contaminação mais séria em sua pele.

Aumento da ferida

A lambedura constante também contribui para que a ferida possa se agravar, pois, dependendo da força e da forma com que o cão reage, o seu tamanho pode aumentar e o problema se transformar em uma lesão séria.

Muitos cães, além de lamber, mordem a pele como forma de coçar o local, isso também é um problema sério que pode agravar a situação.

Como tratar as lesões na pele do meu cachorro?

Sabendo que existem problemas quando o cachorro lambe a ferida, a próxima pergunta envolve o que fazer para tratar das lesões de sua pele.

Verifique detalhadamente a gravidade do ferimento, ou seja, se existe profundidade ou é apenas uma escoriação, além da dimensão da lesão.

Caso a lesão ultrapasse 1 polegada (2 centímetros e meio), ou seja, esteja profunda e/ou com muito sangramento, o melhor a ser feito é procurar imediatamente o veterinário.

Lembre-se que muitas vezes, um pequeno problema pode se transformar em algo mais sério, portanto, fique atento com a dimensão do machucado.

Se você perceber que ele pode ser medicado em casa após a orientação do veterinário, é preciso tomar alguma providência para evitar que ele não continue lambendo.

Para eliminar essa possibilidade, pode-se:

  • colocar uma coleira em cone,
  • usar um colar cervical rígido,
  • colocar uma camiseta, se a ferida for na barriga ou em alguma parte do tronco.

Além disso, caso a lesão seja pequena, ou seja, menor que 2,5 centímetros e com a borda limpa, é possível fazer um curativo caseiro. 

Para isso, siga os seguintes passos:

Cortar o pelo e limpar o ferimento

Corte o pelo no local onde tenha ocorrido o machucado. Tenha cuidado, pois o seu cachorro pode reagir e morder caso esteja sentindo alguma dor.

O ideal é que alguém o segure e outra pessoa faça o corte do pelo.

Após esse processo, é importante fazer uma limpeza no local do ferimento que pode ser realizada com água oxigenada ou água morna.

Faça o curativo

Os materiais para o curativo são os mesmos utilizados nos humanos:

  • gaze,
  • algodão,
  • esparadrapo.

Utilize o algodão para secar bem a região da ferida e deixá-la completamente limpa.

Enrole a gaze com cuidado para não deixar a ferida sem ventilação, o que irá prejudicar o processo de cicatrização.

Prenda com esparadrapo e prepare-se, pois, o seu.dog tentará arrancar o curativo.

Vale a ideia de proteger o local usando uma das opções já citadas anteriormente no post.

Manutenção do curativo

Tão importante como o curativo é a sua manutenção.

A cada 12 horas vale uma avaliação de como está a ferida e de um novo curativo.

Caso você perceba que a ferida não está regredindo e o problema parece aumentar, procure um veterinário imediatamente. 

Fique atento as seguintes situações:

  • vermelhidão intensa,
  • odor fétido,
  • inchaço,
  • secreção espessa.

Caso o machucado esteja cicatrizando bem após 72 horas, o curativo pode ser removido e suspenso, permitindo que o processo de cicatrização ocorra ainda mais rápido.

Diante de tudo o que foi exposto, você já sabe o que fazer quando seu cachorro lambe a ferida.

Apesar das crendices populares e de algumas defesas com relação a essa situação, o melhor é ficar com as recomendações científicas/veterinárias e evitar esse tipo de comportamento.

Além disso, é importante também cuidar para que o seu peludo não fique lambendo o seu rosto e, em especial, seus olhos, boca e nariz.

No demais, é conviver normalmente e passar horas agradáveis com esse querido amigo que tantas alegrias traz as nossas vidas.

Agora que você esclareceu essa dúvida, leia também nosso post que apresenta 4 raças de cachorros que se dão bem gatos!