Automedicação em cães: não tenha esse hábito!

A automedicação pode ser extremamente prejudicial, ainda mais quando feita em cães, que não conseguem nos dizer o que estão sentindo.

Qualquer medicamento deve ser ministrado apenas com orientação médica, mesmo que seja algum que você considere de uso comum ou que já tenha utilizado outras vezes.

Qualquer comportamento atípico que seu cão apresente, é necessário que você se atente e, se necessário, recorra à ajuda de um médico veterinário de sua confiança.

Caso você tenha o péssimo hábito da automedicação em cães, vamos mostrar nesse post os perigos dessa ação.

Quais os perigos da automedicação em cães?

Só quem tem um peludo como parte da família sabe o quão angustiante é a sensação de perceber que ele está se sentindo mal ou com dor e não poder fazer nada.

Contudo, optar pela automedicação pode piorar ainda mais o quadro, podendo levar até a óbito.

Confira os principais malefícios dessa prática:

Pode fazer mal à saúde

Embora muitas pessoas tratem os pets como verdadeiros filhos, é importante lembrar que eles não são humanos e, consequentemente, não devem tomar medicamentos para tal.

O paracetamol, por exemplo, é muito utilizado em casos de dor e febre pelos humanos, mas pode ser extremamente tóxico para seu cão.

Ao notar que seu cachorro está com febre ou sentindo dor, leve-o imediatamente para uma clínica veterinária para que um profissional possa avaliar e passar as instruções corretas.

As bactérias tendem a ficar mais resistentes

Vamos supor que o cão está apresentando os mesmos sintomas que um quadro anterior e você ainda tem o antibiótico que o veterinário indicou.

Nesse caso, não tem problema em dar o remédio, certo? Errado!

A repetição dos mesmos sintomas nem sempre é sinônimo da mesma causa. 

Pode ser que seja uma piora ou, até mesmo, algo diferente que cause os mesmos sintomas.

Ministrar o mesmo medicamento pode fortalecer as bactérias, dificultando o tratamento correto e expondo o bichinho a infecções ainda mais fortes e agressivas.

Procure um profissional sempre que seu pet não estiver bem!

Sempre que notar que seu cachorro está apresentando sinais de dor, mal-estar ou o comportamento está diferente do habitual, procure imediatamente um médico veterinário.

Somente um profissional poderá examinar o seu amigo e dar o diagnóstico correto, com o respaldo de exames, caso necessário.

A automedicação pode ser extremamente prejudicial e piorar ainda mais o quadro do seu pet, tornando o tratamento mais difícil.

Isso sem contar que alguns medicamentos destinados aos humanos podem ser tóxicos e levar os cães a óbito.

Lembre-se que o desaparecimento dos sintomas não quer dizer que a causa foi tratada, podendo causar danos mais severos no futuro.

Se preferir, atualmente existem opções de veterinário a domicílio, facilitando para quem tem animais idosos ou quer poupar o peludo do estresse de ir até à clínica, considerando que ele já está com a saúde debilitada.

O mercado está cada vez mais completo e pronto para acolher da melhor forma os animais que já fazem parte da vida de tantas pessoas.

Então, ao sinal de qualquer sintoma ou comportamento atípico, não pratique a automedicação. Procure imediatamente um médico veterinário!

Gostou das dicas? Aproveite para conferir como conquistar a confiança de um cachorro.