Quais são os principais sintomas de alzheimer canino?

A terceira idade dos pets pode trazer doenças características dessa fase e uma delas é o alzheimer canino. 

Assim como na raça humana, à medida que os anos passam, é comum percebermos os sinais da idade nos animais.

Entre os problemas mais comuns estão:

  • os de pele,
  • oculares,
  • periodontais,
  • cardiológicos,
  • articulares,
  • câncer.

O período geralmente é caracterizado pelas limitações físicas, lentidão e até dificuldades para se alimentar por causa dos dentes que ficam mais fracos.

Mas o que pouco tutor sabe é que nossos pets também podem manifestar distúrbios neurodegenerativos, como o alzheimer, e, nesse caso, eles precisam de cuidados especiais.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

Como o alzheimer canino se manifesta?

O alzheimer canino é caracterizado pelo processo de degeneração do sistema nervoso central, conhecida como Síndrome da Disfunção Cognitiva ou SDC.

A doença não tem cura e provoca alterações nas capacidades cognitivas dos animais e, geralmente, está associada ao envelhecimento.

Pode ocorrer de forma lenta e gradual ou mais velozmente dependendo da genética do cão e de todo o quadro clínico dele. 

Os principais sinais de SDC são:

  • começar a fazer as necessidades fisiológicas fora do lugar habitual,
  • perder o interesse de interagir e brincar com outros animais e tutores,
  • apresentar-se agressivo ou apático, 
  • alteração no ciclo do sono, 
  • não reconhecer os membros da família,
  • perambular sem destino, dar voltas no mesmo lugar, etc,
  • se perder em caminhos conhecidos,
  • olhar fixo para o nada,
  • dificuldade de compreensão.

Ao perceber os sintomas, o veterinário deverá ser consultado para o devido diagnóstico e tratamento adequado.

Como cuidar de cães com alzheimer?

O alzheimer canino é representado por desorientação, perda da memória, confusão e mudanças no comportamento.

Por isso, precisamos ficar muito atentos em todas as formas de comunicação do nosso dog, para identificar e compreender o que ele está sentindo e ajudá-lo da melhor forma possível. 

Uma forma de cuidar deles é: 

Estimular mentalmente

A dor de ver o bichinho doente, muitas vezes faz com o dono opte por deixá-lo quietinho para ficar mais confortável, procedendo de forma que pode prejudicar a qualidade de vida do cachorro. 

Ele precisa receber estímulos das pessoas que convivem com ele, só assim terá oportunidades para desenvolver e trabalhar o raciocínio e a cognição. 

Por isso, não deixe de levá-lo passear diariamente, sempre respeitando os limites e as condições dele.

Insista nos comandos de obediência que foram ensinados, como o de dar a patinha, sentar, deitar entre outros. 

Caso, ele não compreenda, cuidado com a insistência, ele pode ficar agressivo por não compreender o que está acontecendo.

Você também pode ensinar novos comandos para estimular a atividade cerebral. Outra dica é esconder petiscos para ele usar o olfato e tentar encontrá-lo.

Aposte nos brinquedos inteligentes. Um muito legal é o que libera a comida enquanto o pet é estimulado. 

Não mude os móveis de lugar

Uma das consequências do alzheimer canino é a desorientação, por isso, não mude a mobília da região onde ele costuma circular.

É importante também deixar o pote da comida, de água e a caminha sempre no mesmo local.

Isso facilita para que ele os encontre.

Tenha paciência e passe tempo junto

Lembre-se que, algumas vezes, ele fará as necessidades fisiológicas fora do lugar, não reconhecerá você, se apresentará apático ou agressivo e que isso faz parte do processo da doença.

Por isso, encha-se de amor, paciência e compreensão.

Outro ponto importante é sempre que possível fique junto dele, com certeza ele se sentirá mais seguro e feliz recebendo o seu amor e o seu carinho.

Agora que você sabe quais são os sintomas de alzheimer canino que tal continuar no blog conferir algumas dicas para deixar seu cachorro mais feliz!