Crise de hipoglicemia em cães: o que é?

Poucas pessoas conhecem a hipoglicemia em cães e talvez não saibam que esse problema pode ser muito sério e fatal. 

A glicose é um carboidrato considerado uma das maiores fontes de energia do organismo.

Ela precisa se infiltrar nas células e para isso conta com uma substância chamada insulina, que é produzida no pâncreas e quando este órgão está comprometido sérios problemas podem ocorrer, dentre eles a hipoglicemia, que é a falta de glicose no sangue.

Cientes do que se trata esta condição, vamos agora compreender a crise de hipoglicemia em cães. Continue lendo e saiba mais sobre esse assunto.

O que é hipoglicemia em cães?

Como já vimos, este problema nos cachorros ocorre em função da falta de glicose no sangue, assim como nos humanos. 

A hipoglicemia em cães, portanto, é uma realidade recorrente em filhotes de raças pequenas, como, por exemplo:

  • pinschers,
  • chihuahuas,
  • yorkshire terrier,
  • poodle toy.

Normalmente o problema ocorre em função da má alimentação, quando os animais comem poucas vezes ao dia e até mesmo pulam refeições.

No entanto, mesmo quando a alimentação parece normalizada e as crises de hipoglicemia continuam constantes, o cachorro pode estar sofrendo com algum desequilíbrio hormonal, doenças do fígado ou até mesmo uma grande quantidade de parasitas que influenciam na hora da digestão.

Como identificar se meu cachorro está tendo uma crise de hipoglicemia?

Para saber se o seu cachorro está tendo uma crise de hipoglicemia é necessário observar o seu comportamento.

Verifique se o seu cão está se alimentando da maneira correta, sem pular refeições. Observe ainda se ele vem mostrando cansaço, sonolento e perdendo os reflexos.

Além disso, existem alguns sintomas que precisam ser verificados com atenção.

Principais sintomas de hipoglicemia em cães

Para conhecermos os principais sintomas de hipoglicemia em cães é importante que se saiba que existem três estágios relacionados a esse problema.

O primeiro estado é a hipoglicemia leve, associada a fraqueza, cansaço anormal, muita fome e algumas vezes tremores.

O segundo estado é conhecido como moderado, quando o cão perde o controle da sua coordenação, cambaleando e mostrando desorientação.

Existe ainda a chamada hipoglicemia grave, que pode causar convulsões, perda de consciência e até mesmo estado de coma. Como se observa, essa situação é muito severa, podendo levar o cachorro a óbito.

Como devo agir se perceber uma crise de hipoglicemia em meu cão?

A primeira ação a ser tomada, quando perceber uma crise de hipoglicemia no cachorro é oferecer a ele comida. Sem exageros, mas, o suficiente para que ele se recupere.

Outra opção é oferecer mel ou xarope de glicose ao animal. Para os de pequeno porte sirva uma colher de chá e para os maiores uma de sopa.

Esse remédio natural irá causar uma recuperação imediata no peludo, no entanto, se ele se recusar a comer, esfregue o mel ou o xarope em sua gengiva, para que ele absorva, mesmo que lentamente e assim o organismo possa receber a glicose.

Caso você não tenha mel ou xarope de glicose, sirva água com açúcar, em quantidade correspondente a uma colher de sopa para cada 5 quilos do seu cão.

Após o retorno ao estado normal, você precisa levá-lo a um veterinário para uma avaliação completa, uma vez que a crise pode não ser de hipoglicemia, apesar dos sintomas apresentados.

Apenas um veterinário está capacitado a realizar uma avaliação correta para um tratamento adequado ao seu cachorro. Jamais tire conclusões e tente resolver sozinho esta situação.

A hipoglicemia em cães é uma realidade que pode ser tratada. Na maioria das vezes, o veterinário irá solicitar exames, quando poderá diagnosticar o problema e desenvolver um tratamento que possibilite qualidade de vida e saúde ao seu querido amigo.