Muita gente atribui a coprofagia canina com a raça do cachorro, mas não tem nada que comprove essa ligação.

Ainda assim, é muito mais comum ver cachorros de pequeno porte com esse costume, embora cães de porte grande e gatos também possam fazer.

No post de hoje vamos explicar o que é a coprofagia canina, quais as possíveis causas e o que fazer para tratar e prevenir. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

O que é coprofagia canina?

A coprofagia canina é quando o cachorro desenvolve o hábito de comer fezes.

Ela pode ser dividida em:

  • autocoprofagia — quando o cachorro come as próprias fezes,
  • alocoprofagia — quando o cachorro come as fezes de outros animais.

A dúvida mais comum entre os tutores é se a coprofagia canina faz mal.

Embora seja uma atitude nada higiênica, dada ao fato de que os cães vivem lambendo os humanos, o ato em si, de forma geral, não é prejudicial à saúde do cão.

Contudo, se ele comer as fezes de um animal que esteja contaminado com verme, por exemplo, pode ser extremamente prejudicial.

Por isso, é importante ficar atento a esse comportamento do cachorro, levá-lo a um médico veterinário para descobrir a origem e tratar o quanto antes.

Quais são as causas e sintomas da coprofagia canina?

A causa da coprofagia canina pode estar associada a diversos fatores, tanto fisiológicos quanto comportamentais. 

É preciso analisar o que desencadeia essa situação para buscar a melhor forma de resolver.

Entre as principais causas estão:

Imitação — as mães costumam comer as fezes e urinas dos filhotes para manter o ambiente sempre limpo. Quando eles crescem podem acabar imitando esse comportamento.

Fator genético — os lobos selvagens, seus ancestrais, comiam as fezes dos humanos e outros animais para suprir a necessidade de nutrientes em caso de escassez de alimentos.

Fator psicológico — o cão come as próprias fezes para chamar a atenção de seu tutor ou, até mesmo, para se distrair do tédio.

Dieta inadequada — os cães podem desenvolver a coprofagia canina como forma de buscar mais nutrientes.

O que fazer para tratar e prevenir a coprofagia canina?

Antes de qualquer coisa, é importante ressaltar que cada animal reage de uma forma diferente e o que funciona para um, pode não funcionar para outro.

O mais indicado é sempre buscar a ajuda de um profissional. 

Somente o médico veterinário poderá realizar o diagnóstico e uma avaliação completa, e identificar a causa da coprofagia.

Contudo, existem algumas ações que podem ser feitas para tratar e prevenir a coprofagia canina, como:

Atenção à alimentação

Procure sempre oferecer alimentos de qualidade e ricos em nutrientes.

Caso opte pela alimentação caseira, busque a ajuda de um nutricionista veterinário para montar uma dieta balanceada para seu cão.

Cuidado com reforço negativo

Quando presenciar o animal comendo as próprias fezes ou a de outro cachorro, não brigue com ele ou esfregue o focinho no local.

Ele pode entender que essa é uma boa forma de chamar sua atenção ou que você está dizendo que ele precisa tirar as fezes dali.

No caso dessa segunda opção, ele pode passar a comer as fezes para “esconder” de você.

Para evitar essa situação, recompense seu amigo sempre que ele fizer as necessidades no local certo, seja com petiscos, carinho ou brincadeira.

Mantenha o local sempre limpo

Tente remover a sujeira o mais rápido possível, mas, de preferência, sem ele ver, ou mais uma vez ele poderá entender de forma equivocada.

Ao ver você retirando as fezes, ele pode achar que precisa fazer o mesmo na sua ausência.

Agora que você já sabe o que é coprofagia canina, aproveite para conferir esses 6 livros imperdíveis sobre comportamento canino!