Cinomose canina: tudo que você precisa saber!

A cinomose canina é muito discutida no meio veterinário e entre os tutores de cachorros, tendo em vista que é uma doença transmissível e o número de afetados está aumentando.

Infelizmente, ela pode causar sequelas graves e, até mesmo, a morte do cão.

É necessário prestar atenção nos sintomas para evitar que o cachorro se torne um hospedeiro e um transmissor dessa doença tão séria.

Se você quer saber mais sobre a cinomose canina, continue lendo nosso post. Vamos mostrar como seu.dog pode pegar a doença, quais são os sintomas e o tratamento. 

O que é cinomose canina?

A cinomose canina é uma doença infectocontagiosa que afeta diferentes animais, como cães, furões e lobos.

Essa doença é causada por um vírus conhecido popularmente como CDV (Canine Distemper Vírus) ou, em português, VCC (Vírus da Cinomose Canina).

Ele ataca o sistema respiratório, digestivo e neurológico do portador.

É interessante ressaltar que nem todo cão que está infectado com o vírus apresentará os sintomas, ou seja, é possível ele ser um transmissor da doença sem apresentar nenhum mal-estar.

Como um cão pode pegar cinomose?

Como já falado, a cinomose é um vírus e, por isso, sua transmissão ocorre através de hospedeiros ou ambiente contaminado.

É parecido com o contágio da nossa gripe. 

Ao entrarmos em contato com algum tipo de secreção, objeto contaminado com o vírus ou, até mesmo, ao ficar em um ambiente fechado com alguém que está com a enfermidade, também ficaremos doentes.

O mesmo acontece com a cinomose canina. 

Quando um cão entra em contato com as secreções de um cachorro contaminado, seja diretamente ou através de um objeto, ou ainda fica no mesmo ambiente, ele poderá contrair a doença.

A secreção, nesse caso, pode ser tanto saliva, quanto urina e fezes.

Todos os cães estão aptos a pegar cinomose canina, mas, em geral, os mais infectados são os que não são vacinados e os filhotes.

A vacina para a cinomose é a v10.

Quais são os principais sintomas?

A cinomose canina afeta sistema digestivo, respiratório e neurológico, nessa ordem.

Por isso, em regra geral, a doença começa a se manifestar dessa maneira, mas nem todo cachorro passará pelos mesmos sintomas.

Os primeiros sintomas, geralmente, são a diarreia, vômito e perda de apetite

Seu cachorro também terá febre e começará a ficar apático.

Depois o vírus atacará o sistema respiratório e seu cão começará a ter tosse, secreção nasal e ocular.

Por último, o vírus estará no sistema neurológico e causará tremores, falta de coordenação motora, contrações musculares involuntárias, convulsões e perda total de movimento.

No meio desses sintomas, também podem aparecer problemas cutâneos, como bolinhas de pus no abdômen e as almofadinhas das patas ficarem mais ásperas e grossas.

Como funciona o tratamento da cinomose canina?

O tratamento da cinomose canina ainda é algo debatido mundialmente, uma vez que é uma doença que afeta muitos cães.

O grande problema é que a doença, normalmente, só é identificada pelo tutor na última fase, ou seja, no sistema nervoso.

Quando isso acontece, é complicado reverter o quadro. 

Nesses casos, são utilizados medicamentos para atenuar os sintomas, aumentando a qualidade de vida do cachorro.

Por isso, a recomendação é sempre levar seu cachorro no veterinário ao perceber algum comportamento ou sintoma estranho. 

Só assim, é possível tratar das doenças enquanto ainda é possível.

Apesar disso, estudos atuais já mostram que a cinomose canina pode ser tratada da mesma forma que o sarampo, uma vez que os vírus são da mesma família e gênero.

Independentemente do estágio da doença, é necessário levar o cão no veterinário para que ele possa diagnosticar e passar a medicação necessária.

Se você quer saber como prevenir a cinomose canina, não deixe de ler nosso post Quantas vacinas meu cachorro precisa tomar.